terça-feira, 14 de agosto de 2012

O Legado da Espada de Sangue 03 - Mestre do Desejo

Oito cavaleiros mercenários, cada um deles nascido bastardo, cada um deles forçados por inexprimíveis torturas em um cárcere sarraceno, cada um deles selado com a marca da espada por toda a vida. Cada um de seus destinos marcado por uma mulher.Foi sussurrado ao longo das fronteiras que os cavaleiros do demônio, os quais cavalgavam sobre negros cavalos, levando negras armaduras e esgrimiam negras espadas, mataria a qualquer homem, mulher ou menino que se atrevesse a olhá-los.Foi sussurrado que sua lealdade era só para uns aos outros e ninguém poderia dividi-los, não havia suficiente ouro ou prata no Reino para comprar seu juramento.Era bem sabido que cada um deles não foi tocado pela mão de Deus, mas sim pelo próprio Lúcifer.Foi sussurrado também, mas só pelas mais valentes das almas, que cada Espada de Sangue estava destinada a encontrar a uma única mulher em toda a Cristandade, que arcaria com ele e somente seus filhos, e até que a mulher fosse encontrada, ele batalharia e devastaria a terra..— Você me deseja? — Arian perguntou.Stefan engasgou: — Que tipo de pergunta é essa?— Uma que requer uma resposta honesta.Ele balançou a cabeça.—Sim, eu desejo você.— Por quê? Porque sou útil? Ele sorriu e tocou em seus cabelos. Os cabelos eram como seda sob a ponta dos seus dedos calejados. O seu sangue, já aquecido, vivo.— Porque você é corajosa, apaixonada e bonita.— E se eu não fosse corajosa ou apaixonada. — Ela tirou os cabelos do alcance dele. — E se meu rosto fosse parecido com uma bruxa, e tivesse esse corpo. Será que você ainda me desejaria?—Eu desejaria o seu corpo.— Qual é a diferença?Ele sorriu lentamente.— Um homem pode encontrar a libertação em qualquer mulher que tenha as pernas dispostas.— É o mesmo para as mulheres?— Eu sei de algumas mulheres que amolecem apenas com um toque de um homem.Ela  olhou firme para ele e  disse lentamente:— É onde eu fico confusa. Os beijos do meu noivo eram quentes e macios. Eu não me importava. Mas você? — Ela apertou a mão no peito dele, e seu coração bateu contra ela. — Você faz alguma coisa comigo. Aborrece-me que seu toque evoque libertinagem em mim quando meu noivo não o faz...
Traduzido:PRT

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.