quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

O Livro De Ardan 07 - Série Vanir

Só há um caminho para Ardan das Highlands: a vingança. Ele é um einherjar, um guerreiro de Odin que sofreu a maior traição nas mãos da mulher que estava destinada a ser sua companheira eterna. A Valquíria pisoteou seu coração e, devido a ela, o enviaram sozinho à Terra para proteger os humanos, com a alma destroçada e um ódio latente em seu interior. Carece de sentimentos, carece de medo e seu espírito destila despeito e ânsia por devolver a dor sofrida. Agora, tem a possibilidade de conseguir aquilo que mais deseja: submeter Bryn e a fazer pagar por partir seu coração. Entretanto, tão cego em sua fúria não só pode perder de vista a missão de encontrar Gungnir, a lança de Odin como também pode perder o respeito daqueles que o rodeiam e a oportunidade de receber uma explicação por parte da General que poderia mudar tudo. Mas, como pode escutar um homem a quem ninguém ofende impunemente?
Bryn - A Selvagem está a eras se flagelando pela decisão que tomou e que afetou totalmente Ardan. Suas palavras o afastaram dela, romperam seu kompromiss e congelaram as asas de seu einherjar, o homem pelo qual daria sua vida às cegas. As asas de ambos estão geladas e azuis. Mas agora, ela e seu exército de Valquírias se encontram na Escócia lutando para recuperar o último dos totens divinos dos deuses, roubados de Asgard. A General estará, contra sua vontade, nas mãos do duro highlander, mas não se renderá até demonstrar ao escocês déspota e dominante que pode submeter seu corpo, mas nunca sua alma, nem seu coração. Uma palavra de Ardan a devolveria ao Valhala sem honras; e uma pergunta do guerreiro de olhos caramelo poderia mudar a relação entre eles. Ela se importará o suficiente para perguntar por que fez o que fez? Descobrirá Ardan que não se pode submeter alguém tão disciplinado e honorável como Bryn?
O Midgard começa a tremer. A terra se abre e de suas vísceras nasce uma terrível rebelião. Os portais começam a se ativar um após o outro e Gungnir, ainda extraviada, não deve ser cravada em nenhum deles. A guerra está próxima.
Mas não há batalha mais sangrenta que a que estala entre dois guerreiros de asas congeladas. O gelo seco dela pode queimar tanto quanto o despachado fogo dele. Que arda o Midgard.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.